Diante das novas demandas e novas possibilidades, o que se pode esperar da indústria nas próximas décadas? A gente te mostra.

A indústria expande a barreira de criações plausíveis todos os dias, e dentro dessas novas possibilidades, é necessário estabelecer o que serão as diferenças realmente relevantes para o futuro. Da prevenção de erros à estimação de resultados, esses são os quatro pilares da indústria para o futuro.

ESG

ESG (sigla em inglês para Environmental, Social and Governance) são relatórios realizados por indústrias com objetivo de transparecer algumas de suas práticas e conseguir investidores. Os tópicos abordados são relacionados ao meio-ambiente, questões sociais e de governança, e alguns pontos relevantes a serem abordados são os seguintes:

ESG: Enviromental, Social and Governance
  • Ambiental: o envolvimento das empresas dentro das questões de combate aos danos ambientais. Dentro da criação de ESG, é necessário a documentação das medidas tomadas em relação a o impacto ambiental da empresa.
  • Social: como as relações se desenvolvem dentro da empresa em consideração aos seus funcionários e clientes. As medidas tomadas para que os espaços de trabalho sejam adequados para todos os indivíduos envolvidos.
  • Governança: regulações acima dos representantes das companhias, os meios de fiscalização mútua para assuntos internos e externos à empresa.

A criação do ESG teve como meta questionar indústrias sobre as suas contribuições não lucrativas. A cobrança tem se tornado cada vez mais presente, a ponto de gerar discussões acima da criação de relatórios padronizados de ESG por parte das indústrias.

Performance das Máquinas

Dentro das grandes indústrias, a plena funcionalidade de todas suas partes é essencial para um resultado positivo, mas com a alta demanda e atenção exigida, isso pode ser um trabalho árduo e pouco recompensável.

A digitalização dos dados de desempenho é a maneira que diversas empresas têm encontrado de ter maior controle de suas indústrias. Através do acompanhamento de maquinário, é possível realizar adaptações para métodos mais específicos e funcionais. Além disso, a prevenção de eventuais erros e problemas podem ser realizados rapidamente, evitando perdas materiais e de tempo.

O acompanhamento de performance das máquinas é um dos passos para melhora de desempenho, mas este vem acompanhado de mais estratégias, veja a seguir.

Manutenção Preditiva

A manutenção preditiva é um recurso de integração de dados que prevê a necessidade de manutenções, com objetivo de ter controle sobre a máquina e aprimorar sua vida útil. Esse tipo de manutenção se difere da manutenção preventiva pois utiliza dados em tempo real, enquanto a outra se baseia em históricos e estatísticas.

Como mencionado previamente, a manutenção preditiva é baseada em dados em tempo real, conseguidos a partir de monitoramento de condições. Este acontece continuamente durante o processo das máquinas, e pode ser realizado em organização periódica, remota ou online.

Antes de aderir esse recurso, é necessário fazer algumas observações em relação às demandas da indústria – como avaliações nas máquinas, do sistema, integração etc – e estudar sobre os resultados da implantação, assim como trabalhar e interpretar estes dados.

Algumas das atribuições sobre a manutenção preditiva são:

  • Minimização de tempo perdido por problemas inesperados;
  • Minimização de tempo para reparação;
  • Maximização de segurança e confiabilidade da máquina.

Qualidade do Produto

“A totalidade dos requisitos e características de um produto ou serviço que estabelecem a sua capacidade de satisfazer determinadas necessidades”.
– American Society for Quality (ASQ)

Com apenas essas mudanças em prática, além de haver um notável aprimoramento da produtividade geral, os resultados finais também apresentam melhoras. Ainda assim existem pontos a serem notados com foco na qualidade do produto.

A qualidade do produto é determinada por diversos fatores. Os critérios de avaliação devem ser relativos ao objeto de estudo, mas em suma, existem alguns pontos a serem levados em consideração em todos os casos.

A integridade física é o ponto de partida para qualquer avaliação. O produto deve estar em plenas condições de utilidade. Em uma situação onde o produto não se mostra eficaz neste aspecto, outros critérios começam a ser prejudicados, como o desempenho. A partir de um desempenho afetado, a expectativa do consumidor é quebrada e a confiabilidade do produto é manchada, gerando, a longo prazo, um problema de consistência.

Dentro da nova realidade da indústria e seu relacionamento com a Big Data, o gerenciamento da qualidade do produto é intrinsecamente atrelado aos dados adquiridos. E é através da implementação de melhores estratégias e mais inteligentes, que a produção e qualidade dos produtos é aperfeiçoada.

Conclusão

Os quatro pilares de desenvolvimento para o futuro das indústrias abrem muitas oportunidades de aprimoramento de sistemas, e consequentemente, melhorias no rendimento geral e líquido. Ainda assim, existem as cobranças em relação a todas as mudanças e estas devem ser estudadas e aplicadas dentro das delimitações da indústria.

Referências

  1. ESG
  2. Performance das Máquinas
  3. Manutenção Preditiva
  4. Qualidade do Produto

O FUTURO DA DIGITALIZAÇÃO INDUSTRIAL

CONHEÇA JÁ
By | Categories: Uncategorized |

Gostou do conteúdo? Compartilhe com quem pode precisar!

PRONTO PARA A ERA 4.0?

FAÇA UMA AVALIAÇÃO E DESCUBRA O BIG DATA INDUSTRIAL

Comece agora!